Campanha contra maquiagem para crianças

O grupo inglês Pinkstinks (rosa fede, ou rosa não tá com nada), que luta contra a ditadura do cor-de-rosa, está lançando uma campanha contra maquiagem para crianças. O objetivo é convencer as lojas a pararem de vender cosméticos destinados a meninas abaixo de oito anos.

A nova campanha busca aliviar as crianças da pressão de ter de melhorar a aparência física. Pesquisas mostram aumento no número de casos de jovens com baixa auto-estima e Pinkstinks acredita que a maquiagem contribua para isso já que pressiona as meninas a serem bonitas.

A campanha tem três objetivos:

  • Que as lojas tirem maquiagens das prateleiras com produtos para crianças em idade pré-escolar ou inferior.
  • Que outros produtos, como revistas e sapatos, parem de oferecer maquiagens como brinde.
  • Pinkstinks também espera conscientizar os pais a deixarem de aceitar e comprar este tipo de produto.

Pinkstinks foi criado há quatro anos para tentar conscientizar as pessoas de que é prejudicial estereotipar crianças. De acordo com o site deles, muitos produtos para meninas valorizam a beleza, a passividade, sem falar que estimulam a obsessão por compra, moda e maquiagens – uma definição bem limitada do que significa ser menina.

Desde cedo, as crianças são canalizadas a identificar-se com determinados brinquedos, jogos e outros produtos. Isso, segundo Pinkstinks, limita a gama de brincadeiras e experiências.

As responsáveis pelo grupo são as irmãs Emma e Abi Moore. A ideia de criar Pinkstinks começou numa visita a uma loja de brinquedos, quando Emma viu a filha dizer que os animais de uma fazendinha eram para os meninos, diz ela nesta matéria.

Eu concordo com o que Pinkstinks defende. Não sou contra esse mundo cor-de-rosa que inclui roupas, brinquedos e artigos para decoração, mas acho perigoso começar a estereotipar meninos e meninas mesmo antes de seu nascimento e limitar suas escolhas. Afinal de contas, há muitas opções de cores, de maneiras de se vestir, de brincar, enfim, de agir.

A divisão entre o rosa e o azul é bem forte aqui no Reino Unido, assim como em outras partes do mundo. Muitas vezes a Sofia foi confundida com menino por não estar usando “cores femininas”.

Quanto à maquiagem, nossa experiência é ainda limitada. Ela já me pediu pra passar batom ao me ver na frente do espelho mas se contentou em brincar com um protetor labial.

E vocês, o que acham dessa campanha? Estou curiosa pra saber das experiências de vocês.

Leia também: Furar orelha de bebê? e Meninas e meninos insatisfeitos com a aparência

Anúncios