Framboesas

A ideia que a Sofia teve ao comer framboesas me fez lembrar desta cena do filme O fabuloso destino de Amélie Poulain.

Veja também: 10 lanches saudáveis para crianças e O açúcar na dieta das crianças

Vendo e revendo o primeiro filme

Agora posso dizer que entrei para o clube das mães que já assistiram ao mesmo filme várias vezes por causa dos filhos. Faz mais ou menos um mês que Rio está “em cartaz” na nossa casa.

O DVD nunca foi tão requisitado como nos últimos dias. É que a Sofia perdeu um pouco da disposição por causa de uma virose, tadinha.

Gostei do filme e da trilha sonora, embora as músicas fiquem na minha cabeça muito mais tempo do que eu gostaria.

A Sofia ganhou o DVD do filme de presente da tia Maria em fevereiro mas levou um tempinho para começar a apreciá-lo. Antes disso, ela costumava ver só programas infantis mais curtos e desenhos animados.

Assistir ao mesmo episódio várias vezes é que não é novidade. Começamos com trechos breves do Rio e agora, se deixássemos, ela provavelmente assistiria tudo de uma vez só.

Veja também: Peppa Pig: o desenho animado favorito e Waybuloo e Tinga Tinga, desenhos animados da TV inglesa

Toda mãe é superstar

Personagem de Sarah Jessica Parker tem uma filha de seis e um filho de dois anos

Um dos filmes que assisti no avião na ida ao Brasil foi Não sei como ela consegue (I don’t know how she does it), com Sarah Jessica Parker. Pra quem não sabe, ela interpreta Kate, uma mãe que se divide entre os filhos e o trabalho.

O filme mostra várias situações em que Kate se desdobra tentando conciliar a vida profissional e pessoal – aquele dilema que muitas mães conhecem. Enquanto a filha de seis anos culpa a mãe por viajar a trabalho, o filho de dois parece não se importar muito com as despedidas e quase sempre acha tudo que ela faz o máximo.

Não achei o filme grande coisa e eu não esperava muito mesmo. Mas Kate fala algo que ficou na minha cabeça. Ela diz que quando se tem um filho de dois anos a gente se sente uma superstar.

Eu não diria que me sinto uma estrela, mas acho que entendo bem o que ela quer dizer. A gente não apenas dá, mas também recebe muita atenção dos pequenos.

Não precisa ser artista pra arrancar risadas da Sofia. É aquela fase em que cada reencontro é celebrado com um saudoso abraço. Impossível não se sentir especial. É indiscutível que somos referência para nossos filhos, parte central da vida deles, nos primeiros meses, anos.

Quando estou cansada de ouvir a Sofia me chamando, às vezes eu lembro que uma vez me disseram que essa fase vai passar rápido e que quando ela entrar na adolescência provavelmente eu é que estarei tentando ganhar a atenção dela.

Quase Natal

A Sofia andou meio gripada recentemente e agora eu e o Rodrigo é que não estamos muito bem. Acho que é a primeira vez que nós dois ficamos indispostos ao mesmo tempo. Não tem sido muito fácil, mas sei que logo vai passar.

Já que falta tão pouco pro Natal, aqui vai um trecho do clássico para crianças The snowman, ou O boneco de neve. O livro do autor inglês Raymond Briggs, publicado em 1978, originou um filme de animação em 1982.

Correria de fim de ano

Cartaz da coletiva de imprensa

Eu pensei que escaparia da tradicional correria de final de ano mas infelizmente não foi possível. É por isso que tenho escrito menos do que gostaria aqui no blog.

Tenho até vergonha de contar, mas ainda não tiramos nossa decoração de Natal do sótão. E ainda não definimos onde vamos passar o final de ano.

Tenho tido dias intensos no trabalho e fiz um freelance nesse fim de semana. Fui cobrir a entrevista coletiva do filme The girl with the dragon tatoo (Millennium – Os homens que não amavam as mulheres), com Daniel Craig. Vou entrar em férias na sexta-feira e a partir de então espero colocar tudo em dia.

Ar fresco (ou gelado)

Hampstead Heath na primavera

Eu admiro aqueles que conseguem passar um dia inteiro sem botar os pés na rua. Sempre fui meio inquieta e poucas vezes consegui ficar em casa por mais de 24 horas.

Agora então com a Sofia isso é impossível. Como quase todas as crianças, ela adora sair, faça chuva, faça sol ou faça neve. E eu acredito no “poder” do ar fresco.

Nada como dar uma espairecida pra organizar os pensamentos, quebrar o tédio ou acalmar os ânimos. Acho que isso vale pros pequenos e pros grandes. Sendo assim, pracinhas e parques são um dos nossos destinos favoritos aqui em Londres.

O lugar mais especial pra mim é Hampstead Heath, um parque enorme, de 320 hectares, cheio de trilhas, árvores centenárias, lagos e vastos gramados, perfeito para piqueniques quando o tempo permite. Ele fica no noroeste de Londres, a seis quilômetros do centro. Algumas cenas do filme Um Lugar Chamado Notting Hill foram filmadas no cenário acima.

O mesmo parque com o lago congelado