Brinquedos: O que vale a pena comprar?

Quais são os melhores brinquedos para os primeiros anos de vida da criança? Que pai ou mãe nunca ouviu ou então nunca se fez essa pergunta? Faz um tempo que venho pensando nisso e resolvi reunir aqui os cinco eleitos na nossa casa.

Os brinquedos abaixo são os mais usados, aqueles que estão sempre em volta. Fazendo a lista me dei conta de que todos eles têm duas características em comum: são versáteis e baratos.

Todos foram escolhidos e testados de maneira independente, sem fins comerciais. Coloquei eles em ordem de preços que achei na internet:

Carrinho de boneca

A Sofia começou a brincar com carrinho de boneca quando mal sabia caminhar. O dela é usado pra transportar brinquedos e tudo mais que couber nele, inclusive ela própria. Ele é dobrável, fácil de guardar e de levar pra rua. Preço: 5 libras (R$ 15,90).

Livro com texturas Baby Touch Quack Quack

Quack! Quack! foi um dos primeiros livros que a minha filha ganhou e mesmo agora, já tendo passado um pouco da fase, muitas vezes abre ele para sentir as texturas e apontar para os animais. Preço: 5,79 libras (R$ 18,42).

Copos de empilhar

Nós compramos os copos de empilhar antes de a Sofia conseguir brincar com eles. Foi porque eles foram eleitos como o melhor tipo de brinquedo educativo num programa de televisão aqui na Inglaterra. É possível brincar com os copos de várias maneiras, em vários níveis, sem falar que dá para colocar água ou areia neles. Preço: 6 libras (R$ 19,08).

Tatame infantil

Existem vários tipos de tatames, com números, letras e figuras variadas. Os nossos já foram montados e desmontados diversas vezes, em diferentes cantos da casa. Brincamos com eles ou sobre eles. As peças são de espuma, fáceis de limpar. Preço: 9,98 libras (R$ 31,75).

Barraca de criança

Eu adorava a barraquinha que eu e a minha irmã tínhamos no nosso quarto quando crianças e com a Sofia não é diferente. Essa da foto é bem simples, leve e dobrável. Para que fique mais firme, montamos parte do tatame dentro dela. Preço: 10,49 libras (R$ 33,37).

Leia também: Produtos para bebês e crianças inéditos para mim até pouco tempo

Anúncios

A imaginação nas brincadeiras

Não precisa muita coisa para criar uma cobra e uma coruja

A imaginação tem sido um ingrediente importante nas brincadeiras da Sofia nos últimos tempos. É divertido observar as ideias que ela tem e entrar nas viagens dela.

Esses dias eu abri um iogurte e parte do rótulo ficou grudada no pote. Foi o suficiente pra ela enxergar a carinha de uma menina a partir das sementes de morango.

Depois que ela me mostrou os olhinhos e o nariz eu até consegui visualizar um rosto. Isso me remeteu às viagens de carro na minha infância, quando eu e a minha irmã ficávamos imaginando que os carros tinham rostos.

Tenho presenciado várias aventuras da Sofia, mesmo sem sair de casa. As brincadeiras estão ficando mais criativas, mais complexas.

O sofá da sala muitas vezes é um ônibus ou um trem. Qualquer pedaço de chão vira um vasto gramado ou um oceano num passe de mágica. E objetos, utensílios em geral, até mesmo dinheiro, surgem nas mãos dela sempre que ela imita o som de um clique. Já vi ela fazer o papel de mãe, de filha, de professora, de médica, de bombeira, sem falar dos animais que ela imita.

Tem um programa de televisão que às vezes assistimos chamado Show me show me que explora bastante a criatividade e o mundo do faz de conta. Foi de lá que copiamos a ideia de fazer os animais da foto.

Leia também: Coisas simples da vida

Coisas simples da vida

A Sofia ganhou de presente de aniversário um patinete e um capacete. Sabe do que ela mais gostou? Da embalagem.

Muito mais que uma caixa

Ela já encheu e esvaziou a caixa ao lado muitas e muitas vezes. Já pediu pra nós amarrarmos um barbante em volta e fazer de presente, fez de conta que era um carro, uma casa, levou em viagens imaginárias de trem, de ônibus, e não sei mais o que.

Continuo achando (ou apostando) que o patinete foi boa compra. Ela já deu umas voltas, mas ainda não se sente totalmente segura, não descobriu o barato.

Enquanto isso, ela se diverte com aquilo que dá asas à imaginação. A caixa de papelão acaba sendo um brinquedo educativo, que pode ser montado, transformado, usado de várias maneiras diferentes. Estimula a criatividade.

Leia também: Quando tudo é uma aventura